A HIPOTERMIA TERAPÊUTICA NA RECUPERAÇÃO DE PACIENTES PÓS PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA

EDUARDO MIRANDA DA SILVA JUNIOR MIRANDA, LUZIA KELLY NASCIMENTO KELLY NASCIMENTO

Resumo


O estudo teve como objetivo conhecer o processo terapêutico do estado de hipotermia, identificar o seu potencial terapêutico na recuperação de pacientes vítimas de PCR e estabelecer a assistência de enfermagem a ser prestada nesse processo. Tratou-se de uma revisão narrativa da literatura por meio de análise de estudos anteriores, os quais foram consultados por meio de pesquisa realizada nas bases de dados da  Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), utilizando as bases: Literatura Latina Americana de Ciências Médicas (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e o Banco de dados em Enfermagem (BDENF), com amostra de artigos que atenderam aos  seguintes critérios de inclusão: publicações na área de enfermagem e médica, textos completos, e em que fosse abordada a temática hipotermia terapêutica pós PCR e assistência de enfermagem nesse processo. Compreendeu-se que a hipotermia terapêutica (HT) é uma técnica conhecida desde o século XVIII, passando por abandonos, redescobertas e vários estudos. Atualmente se mostra um promissor tratamento, capaz de promover melhor prognóstico a pacientes vítimas de PCR com retorno da circulação espontânea (RCE), e por isso necessita ser mais difundida entre profissionais de saúde. Conclui-se que a HT demonstra ser uma técnica simples e de baixo custo, se comparada a possíveis gastos no tratamento de vítimas com sequelas, assim, não há razões para a técnica não ser implementada, por meio de protocolos nas unidades hospitalares, com capacitação multiprofissional e disponibilidade de ambientes e materiais propícios à sua aplicação.

Palavras-chave


Hipotermia induzida; Parada cardíaca; Enfermagem

Texto completo:

PDF

Referências


ABELLA B. S. et al. Induced hypothermia is underused after resuscitation from cardiac arrest: a current practice survey. Resuscitation, Chicago, n. 2, v. 64, p.181-6, set., 2005.

ABREU, A. et al. Papel neuroprotector da hipotermia terapêutica pós paragem cardio-respiratória. Revista brasileira de terapia intensiva, São Paulo , v. 23, n. 4, p. 455-461, Dec. 2011. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2015.

ANDRADE, A. H. V. et al. Atualização terapêutica: hipotermia terapêutica. Einstein: Educ. Contin. Saúde. n. 3 pt 2, v. 9, p.159-61, 2011. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2015.

B, C. N. et al. O potencial da hipotermia terapêutica no tratamento do paciente crítico. Mundo saúde (Impr.), São Paulo v. 32, n. 1, p. 74-78, jan./mar. 2008.

BERNARD SA. et al,. Clinical trial of induced hypothermia in comatose survivors of out-of-hospital cardiac arrest. Annals of Emergency Medicine, v. 30, n. 2, p.146-53. Abr. 1997.

BOLETA, F.; JERICÓ, M. C. Unidades de terapia intensiva: considerações da literatura acerca das dificuldades e estratégias para sua humanização. Esc. Anna Nery Rev. Enferm, Pernambuco, v. 10, n. 2, p. 301-309, ago, 2006. Disponível em: . Acesso em: 3 fev. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência nacional de vigilância sanitária. Resolução nº 7, de 24 de fevereiro de 2010. , 2010. Disponível em:

< http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0007_24_02_2010.html>. Acesso em: 21 mar. 2015.

CISNEIROS, M. S. ; FEITOSA-FILHO, G. S. . Hipotermia Terapêutica após Parada Cardiorrespiratória. Capítulo para o site Medicina Net. 2010. Disponível em:

. Acesso em: 28 abr. 2015.

CRUZ, F. R. GENTIL, R. C.; Hipotermia induzida na parada cardíaca: implicações para a enfermagem. Revista de Enfermagem UNISA, Santo Amaro v.13, n.2, p.137-42, 2012. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2015.

DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM DA NANDA: definições e classificação 2009-2011/ NANDA International; tradução Regina Machado Garcez. - Porto Alegre: Artmed, 2010.

FEITOSA-FILHO, G. S. et al. Hipotermia terapêutica pós-reanimação cardiorrespiratória: evidências e aspectos práticos. Revista brasileira de terapia intensiva, São Paulo , v. 21, n. 1, p. 65-71, mar. 2009 . Disponível em: . Acesso em: 26 dez. 2014.

AMERICAN HEART ASSOCIATION. Destaque das diretrizes da American Heart Association 2010 para RCP e ACE, Hilights 2010. 2010.

Hypothermia after Cardiac Arrest Study Group. Mild therapeutic hypothermia to improve the neurologic outcome after cardiac arrest. New England Journal of Medicine. v. 346, n. 8, p. 549-56, 2002. Disponível em: < http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa012689 >. Acesso em: 24 jan. 2015.

KNOPFHOLZ, J. et al. Manuseio de Emergências Cardiológicas em Hospital Geral no Estado do Paraná. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, São Paulo, n. 6, v. 10, p. 499, nov.- dez. 2012.

NOLAN JP, et al. International Liaison Committee on Resuscitation. Therapeutic hypothermia after cardiac arrest: an advisory statement by the advanced life support task force of the International Liaison Committee on Resuscitation. Circulation. v. 108, n. 1, p. 118-21, jul 2003. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. de 2015.

OLIVEIRA, T. F. L. et al. Fatores associados à pneumonia nosocomial em indivíduos hospitalizados. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo , v. 57, n. 6, p. 630-636, dez. 2011.

RAVETTI, C. G. et al. Estudo de pacientes reanimados pós-parada cardiorrespiratória intra e extra-hospitalar submetidos à hipotermia terapêutica. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, São Paulo , v. 21, n. 4, p. 369-375, dec. 2009 . Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 2015.

RECH, T. H. et al., Hipotermia terapêutica em pacientes pós-parada cardiorrespiratória: mecanismos de ação e desenvolvimento de protocolo assistencial. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 196-205, Junho, 2010.

STEPHEN A. B. et al., New England Journal of Medicine, v. 346. n. 8, fev. 2002.

WALDRIGUES, M. C. et al. Complicações da hipotermia terapêutica: diagnósticos e intervenções de enfermagem. Rev. Pesq. Cuidado é fundamental Online. v. 6, n. 4, p. 1666-1676. out./dez 2014. Disponível em:

< http://saudepublica.bvs.br/pesquisa/resource/pt/bde-25837>. Acesso em: 26 dez. de 2014.

WOLFRUM S. et al. Mild therapeutic hypothermia after cardiac arrest - a nationwide survey on the implementation of the ILCOR guidelines in German intensive care units. Resusci-tation, Berlin. v. 2, n. 72, p. 207-13, jun. 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Carpe Diem: Revista Cultural e Científica do UNIFACEX ISSN 1518-5184 (Impressa) ISSN 2237-8685 (Online)  UNIFACEX- Centro Universitário FACEX Rua Orlando Silva, 2897 Capim Macio - Natal/RN - CEP: 59080-020