ABSENTEÍSMO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Ana Celi Costa Nunes Gomes, Maria Cristiana da Silva Souto, Nadson Ricly Oliveira dos Santos, Melina de Oliveira Pimentel, Cilene Nunes Dantas

Resumo


Objetivou-se identificar, na literatura científica, as principais causas do absenteísmo na equipe de enfermagem da unidade de terapia intensiva. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica nas bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, Scientific Electronic Library Online, Bases de Dados em Enfermagem. Os descritores utilizados foram 1) “absenteísmo”, 2) “enfermagem” e 3) “Unidades de Terapia Intensiva”, cujos critérios de inclusão foram publicações em texto completo nos últimos dez anos (2003-2013), na língua portuguesa e que não estivessem repetidos nas bases. Do total de 90 artigos, inicialmente identificados, que abordavam o tema, só 16 estudos estavam de acordo com os critérios de inclusão e exclusão. O maior número de pesquisas que abordaram a temática foi publicado no ano de 2009, totalizando cinco (31%) estudos. Os principais motivos encontrados para o absenteísmo foram o comprometimento na saúde das trabalhadoras/licenças médicas, sobrecarga de atividades e ambiente de trabalho formal. A redução do absenteísmo na equipe de enfermagem na unidade de terapia intensiva ainda é um desafio para os gestores e colaboradores que atuam em instituições hospitalares. Para isso, torna-se fundamental o desenvolvimento de medidas preventivas que possam evitar possíveis danos ao colaborador, cujas organizações devem oferecer um ambiente favorável para o profissional atuar, especialmente, na unidade de terapia intensiva, por ser uma unidade de internação fechada e que requer mais atenção, tempo e trabalho da equipe de enfermagem.


Palavras-chave


Absenteísmo. Enfermagem. Unidades de Terapia Intensiva.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, R. M. D.; A.L.A, SIMÕES. Ausência por adoecimento na equipe de enfermagem de um hospital de ensino. Cienc Creid Saúde. Maringá, v.8, n.4, p.637-44,2009. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

ALVES, A. R. A. Avaliação diagnóstica dos índices de absenteísmo da equipe de Enfermagem de um Hospital de Ensino. Fortaleza, 1995. 74 p. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2015.

BARBOSA, P. M. K. et al. Análise da prática do enfermeiro ao realizar a sistematização da assistência de enfermagem na unidade de terapia intensiva. Nursing. São Paulo, v.12, n.144, p.251-8, 2010. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=558375&indexSearch=ID. Acesso em: 05 out. 2014.

BARBOZA, D. B.; SOLER, Z. A. S. G. Afastamento do trabalho na enfermagem: ocorrências com trabalhadores de um hospital de ensino. Rev. Latinoam. Enf., Ribeirão Preto, v.11, n.2, p.177-183, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0104-11692003000200006&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 05 out. 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Política nacional de ciência, tecnologia e inovação em saúde. 2. ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008. p. 44. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

CAMPOS A. L. A.; GUTIERREZ, P. S. G. A assistência preventiva do enfermeiro ao trabalho de enfermagem. Rev. Bras. Enferm, 2005 jul-ago;58 (4):458-61. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

CARNEIRO, T. M.; FAGUNDES, N. C. Absenteísmo entre trabalhadoras de enfermagem em unidade de terapia intensiva de hospital universitário. Rev. Enferm. UERJ, Rio de Janeiro, v.20, n1, p.84-9, jan/mar, 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

CHIAVENATO, I. Recursos humanos na empresa. Editora Atlas: São Paulo, 1989.

COLOMBI, P. P. Aplicação do método Masp para melhoria do indicador de desempenho em uma Industria Metalúrgica: Um Estudo de Caso sobre o Absenteísmo. Dissertação. 64 f. (Curso de Engenharia da Produção) Universidade Regional de Blumenau, Santa Catarina, 2008.

COSTA, F. M.; VIEIRA, M. A. S.; SENA R. R. Absenteísmo relacionado às doenças entre

membros da equipe de enfermagem de um hospital escola. Rev. bras. enferm. v.62, n.1, p.

-44, 2009. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

COUTO, H. A. Temas de saúde ocupacional: coletânea dos cadernos ERGO. Belo Horizonte: ERGO, 1987. 432p.

DEJOURS, C. A Loucura do Trabalho: Estudo de Psicopatologia do Trabalho. 5a ed Ampliada. São Paulo: Editora Cortez e Oboré, 1992.

FARIA, A. C. et al. Absenteísmo por transtornos mentais na enfermagem no período de 1995 a 2004. Arquivos Ciência e Saúde. São José do Rio Preto, v.12, n.1, p.14-20, jan./mar. 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

FERREIRA, A. B. H. Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3. Ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1999. p.17.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

FUGULIN, F. M. T.; GAIDZINSKI, R. R.; KURCGANT, P. Ausências previstas e não

previstas da equipe de enfermagem das unidades de internação do HU-USP.

Revista Escola de Enfermagem/USP, v.37, n.4, p.109-117. 2003. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

GEHRING JUNIOR, G. et al. Absenteísmo-doença entre profissionais de enfermagem da rede básica do SUS Campinas. Rev. bras. epidemiol. [online]. São Paulo, v.10, n.3, p. 401-409. 2007. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

INOUE, K. C. et al. Absenteísmo-doença da equipe de enfermagem em unidade de

terapia intensiva. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, v.61, n.2, p.209/214

mar./abr. 2008. Disponível em: Acesso em: 05 out. 2014.

MAURO, M. Y. C. et al. Condições de trabalho da enfermagem nas enfermarias de um hospital universitário. Esc. Anna Nery [online]. Rio de Janeiro, vol.14, n.2, p.244-252. 2010. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2014.

MININEL V. A. Cargas de trabalho, processos de desgaste e absenteísmo: doença em enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem. Ribeirão Preto. V.21, n.6, p.1290-7. 2013. Disponível em: Acesso em: 03 out. 2014.

QUICK, T. C.; LAPERTOSA, J. B. Análise do absenteísmo em Usina Siderúrgica. Rev. Bras. Saúde Ocup. São Paulo, v.18, n.69, p.65-70, 1982. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=000152&pid=S0303-7657201000010001600027&lng=en>. Acesso em: 27 de ago. 2015.

SANCINETTI, T. R. et al. Taxa de absenteísmo da equipe de enfermagem como indicador de gestão de pessoas. Rev. Esc. Enferm. USP. São Paulo, vol.45, n.4, p.1007-1012, 2011. Disponível em: . Acesso em: 09 de

out. 2014.

SILVA, D. M. P. P.; MARZIALE, M. H. P. Condições de trabalho versus absenteísmo doença no trabalho de enfermagem. Cienc. Cuid. Saúde. v.5, n. 2, sup., p.166-172. 2006. Disponível em . Acesso em: 09 de

out. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Carpe Diem: Revista Cultural e Científica do UNIFACEX ISSN 1518-5184 (Impressa) ISSN 2237-8685 (Online)  UNIFACEX- Centro Universitário FACEX Rua Orlando Silva, 2897 Capim Macio - Natal/RN - CEP: 59080-020